Carta à Branca de Neve


Minha querida amiga,

Espero que possas ler esta breve carta de amor, longe dos teus sete anões-guardiões, que eu sei que passam a pente-fino tudo o que te chega às mãos, com receio que seja uma maçã envenenada ou coisa parecida, destinada a causar-te sofrimentos.
É pouco e é muito, ao mesmo tempo, aquilo que tenho para dizer-te. Tu foste a minha princesa, a primeira clareira de luz no meio das minhas noites sem sono. Por tua causa deixei de gostar de madrastas, de príncipes conquistadores, de maçãs envenenadas, de bruxas e de anões vigilantes.
Eu queria-te só para mim, elegante, branca, meiga, inteligente esempre com um sorriso a disfarçar a tristeza do rosto. Mas tu eras domundo da imaginação das crianças e dos adultos, da memória de muitas terras e lugares.
Tive que me resignar. Não se pode ter uma princesa branca como a neve só para nós.Paciência. Continuo hoje a ver-te rodeada pelos teus pequenos guardiões, à espera de um príncipe galante que tarda em chegar.
Até sempre, Branca de Neve. Como posso eu esquecer-te?




José Jorge Letria, Cartas aos Heróis, Edição AMBAR

sexta-feira, 9 de Novembro de 2007

Palavras Viajantes

Olá pessoal!!!

Ainda bem que apareceram.... Já estávamos à vossa espera!

Somos um grupo de professoras que gosta muito de ler e de escrever. E como sabemos que os meninos também gostam, mas por vezes, precisam de um empurrãozito que os incentive, decidimos ajudar-vos.

Espero que gostem e se divirtam muito!!!!!!

Pede um desejo...


O Inverno está a chegar, pede para acender a lareira e para te lerem uma história...Se não tens lareira , acende uma vela.
um livro e por cada página que leres, pede um desejo.
Vais ver que serás feliz todos os dias do ano...
A não perder uma única palavra... de

O Segredo do Rio de Miguel Sousa Tavares
A Vassoura Mágica de Luísa Ducla Soares
O Menino que não gostava de ler de Susanna Tamaro
A Menina que Sorria a Dormir de Isabel Zambujal
Vem aí o Zé das Moscas e Outras Histórias de António Torrado